Marcas buscam parceria com aplicativos de táxi


Empresas de categorias como serviços financeiros, automobilísticos, de bebidas e telefonia apostam no setor.

Os aplicativos de táxi primeiro caíram na graça de fundos de investimento e, agora, chamam a atenção de grandes marcas. Em novembro, o Santander lançou a promoção “Santander Meia Bandeira”, em parceria com a EasyTaxi. Até dezembro de 2014 a instituição vai dar 50% de desconto para todos os passageiros na capital paulista que utilizarem o aplicativo no horário da bandeira 2 e pagarem a corrida com cartão do banco. Uma campanha desenvolvida com a Talent divulga o benefício em pontos estratégicos: bolachas de chope, abrigos de ônibus em bairros boêmios da cidade e em guias de passeios editados por veículos.



O interesse da companhia é entrar no debate sobre mobilidade urbana, algo que tem sido explorado por outras empresas da categoria (vide o Itaú), e se apropriar do tema trânsito seguro. Além do ganho de valor de marca, há geração de negócio. “O objetivo inicial era fidelizar clientes e aumentar a frequência de uso de cartões Santander, criando mais transações. O que começamos a observar foi a repercussão entre quem não está em nossa base e agora tem buscado cartões devido ao benefício”, afirma a diretora do banco.

O projeto ainda é um piloto concentrado em São Paulo, mas a executiva afirma que o Santander tem interesse em levá-lo para outros países. “A EasyTaxi está presente em vários países da América Latina, e isso nos interessa. Pode haver expansão, o que viraria um benefício global do banco”, projeta Paula. “Estou em Madri para me reunir com o marketing global do Santander e apresentarei essa iniciativa com destaque”, adianta.


Os aplicativos de táxi chegaram ao mercado em meados de 2012 e alcançaram rápido sucesso: o EasyTaxi, parceiro do banco, já recebeu R$ 55 milhões em aportes financeiros de diferentes fundos internacionais desde setembro de 2012. A startup, que nasceu no Rio de Janeiro em abril do ano passado, saltou de mil taxistas cadastrados no início da operação para os atuais 90 mil, espalhados por 17 países.


De acordo com Tallis Gomes, coCEO da EasyTaxi, a companhia está negociando com empresas das categorias de seguros e de bebidas alcoólicas (destiladas e não destiladas) interessadas em se associar ao app. “Há várias empresas que veem sentido numa parceria assim. A Ambev já está conosco e estamos conversando com uma empresa da área de seguros. Os apps de táxi utilizam softwares como serviço no mobile, algo antes restrito à web. É algo novo, abre muitas possibilidades de serviços em diferentes áreas, do transporte à alimentação”.


O aplicativo 99Taxis completou em novembro dois milhões de corridas no Brasil (o aplicativo tem 25 mil taxistas cadastrados e 750 mil usuários na plataforma) e tem sido procurado por empresas do setor financeiro, automobilístico, de telefonia e de bebidas. “São quatro grandes segmentos e teremos em 2014 parcerias com pelo menos um representante de cada categoria”, afirma Paulo Veras, CEO e fundador da companhia.


A seguradora Porto Seguro apostou no seu próprio aplicativo, em vez de fazer parcerias com as já existentes empresas do mercado. O uso pode ser feito por todos os usuários. As grandes vantagens estão para que já é cliente da seguradora. Quem pagar com o cartão de crédito da própria empresa, ganha 20% de desconto na corrida feita em qualquer horário, dobro de pontos no programa de relacionamento e ainda concorre a prêmios  mensais de R$ 5 mil a cada corrida.

Quem apostou em desenvolver o seu próprio aplicativo também foi o Ministério das Cidades juntamente com o Denatran. O aplicativo chamado "Onde Tem Táxi Aqui" é ainda apenas um localizador de pontos de táxi.